Aprenda e Aplique Aprender Educação Financeira Empreendedor Inicio de Vida O teu Objetivo é O teu Perfil Organizar Planear Poupar

7 (maus) Hábitos que estragam a Poupança

Manter a rotina de fazer um orçamento nem sempre é fácil! Já falei aqui, aqui e aqui da importância de fazer e manter atualizado um orçamento familiar, mas muitas vezes somos nós próprios que nos sabotamos com a preguiça e a correria do dia a dia. O primeiro passo para combater estes empecilhos é exatamente ter a noção de quais são e que nos impedem de ter sucesso.

Confere se tens alguns destes 7 hábitos que estragam a Poupança e combate-os na sua raiz!

Esperar que o dinheiro sobre para poupar

Um bom orçamento familiar também tem que ter metas de poupança. Seja um valor fixo mensal ou uma percentagem sobre o ordenado, o importante é poupar algo e coloca-lo de parte. Mais que não seja para constituíres um bom Fundo de emergência. Se tens a ilusão que vais começar a poupar quando no final do mês “sobrar algo”, podes “tirar o cavalinho da chuva” porque isso muito provavelmente não vai acontecer. Não é por não haver dinheiro, mas apenas por uma questão psicológica.

Se estabeleceres o valor da tua poupança logo no inicio de cada mês e assim que o ordenado cai, esse valor for posto de lado, acredita! Muito provavelmente vais “esquecer” que o dinheiro já foi.  Caso contrário enquanto  tiveres o dinheiro disponível e facilmente acessível, ele desaparece e nem te apercebes bem em quê.

Por exemplo, no inicio deste ano decidi deixar de receber os duodécimos no ordenado, pensei muito sobre essa decisão e pelo impacto que poderia ter no meu orçamento mensal, mas decidi avançar. A verdade é que nós temos a capacidade extraordinária de nos adaptar às situações, e acabei por me adaptar sem esse valor. E sabe muito melhor receber o “bolo” dos subsídios na altura deles! 

Esquecer de apontar alguns gastos

Para tornar um orçamento familiar realista é necessário ter uma noção exata de quanto gasta e em que mais gasta. Existem formas simples e práticas de fazer esse controle. Pode optar usar o máximo possível o cartão de débito, apontar no telemóvel os pequenos gastos, instalar uma app no telemóvel (tem o boonzi que interliga o programa no PC com a aplicação no Telemóvel!), ou até mesmo pedir os talões e guardar num envelope e fazer a contagem mais tarde. Escolhe o que for mais prático para ti, o importante é faze-lo. 

Descobre aqui o impacto de pode ter o apontar todas as despesas

Comprar por impulso

Antes de comprar o que quer que seja faz a ti mesmo estas questões:

–  Eu quero ou Eu preciso?

–  Se eu preciso, posso/consigo pagar já e na sua totalidade?

–  Eu devo?

Dessa forma podes tomar uma decisão mais consciencializada.

Não ter um de controlo financeiro

É imprescindível que  mantenhas alguma forma de controlo financeiro. Podes usar a tecnologia a teu favor e facilmente visualizar relatórios de despesas separadas por categorias, estabelecer metas de poupança ou limites de consumo. Se não es fã de tecnologia, uma folha de Excel ou um bloco de notas também serve. O importante é não  descuidares deste ponto importante.  Assim, conseguirás ter a noção exata de como tem sido administrado o teu dinheiro.

Comprar a Crédito

Prefere sempre juntar o dinheiro primeiro e comprar a pronto pagamento do que financiar as tuas compras. Para situações de emergência é importante recorrer ao Fundo de emergência. Sempre que recorres a um financiamento encarece de despesas extra. E corres sempre o risco (quanto maior a despesa maior o risco) de por algum motivo deixares de poder pagar aquela prestação e iniciar-se uma bola de neve de dívidas. Sempre que possível tenta fugir disso.

Não definir metas financeiras

Não serve de nada controlar todos os gastos e fazer poupança se não definires os teus objetivos. Define os teus Sonhos e torna-os as tuas metas a alcançar. Descobre aqui como podes realiza-los.

Deves definir Sonhos de curto, médio e Longo prazo:

Curto prazo – até 6 meses

Médio prazo – entre 1 a 5 anos

Longo prazo – daqui a 10 anos.

O importante é estabeleceres objetivos para atingir e ajusta no teu orçamento.

Perder o controlo nos momentos de lazer

Aprender a dizer “não” é uma arte. Se dizer que não aos amigos e família é difícil, o dizer não a nós mesmos muitas vezes é uma tarefa impossível. Mas se tivermos bem definidos os objetivos conforme disse la em cima, torna-se mais fácil. Dizer não a, por exemplo, um jantar fora com os amigos se o nosso objetivo é fazer aquela viagem de sonho nas próximas férias.

Não quero com isto dizer que não devemos sair ou divertir-nos, mas para evitar o descontrolo de sair o que para nós é demasiado, estipula por mês o teu limite e não o excedas. Podes tambem procurar alternativas mais economias, como jantares em casa, festivais ao ar livre. Basta pesquisar um pouco.

Estes são os principais hábitos que podem desestabilizar o teu orçamento familiar. Segue estas dicas e vais ver a tua poupança a crescer! Deixa aqui os teus comentários e sugestões de como lidas com estes hábitos.

Ler Também:

Armadilhas mentais para sabotar o teu Orçamento Familiar

 

Deixar um comentário