Educação Financeira Organização e Planeamento Poupança

Fundo de emergência – Quem, Como e Porquê ?

mark-cubang-1

O que é um fundo de emergência?

O fundo de emergência é como uma almofada financeira (já ouvimos este termo algures não é?), que nos protege para qualquer eventualidade. É como um seguro para ser usado só e apenas quando perdemos os nossos rendimentos mensais de forma brusca.

Se fosse impedido de trabalhar hoje… quanto tempo conseguiria sobreviver?

É esta questão que nos devemos colocar quando ponderamos iniciar o fundo de emergência.

Quem deve construir um fundo de emergência?

Todos!Poderá haver pessoas que a sua profissão pode estar mais exposta  a riscos de perda de rendimento abruptamente, (trabalhadores por conta própria por exemplo) e outras com mais segurança no emprego, mas é importante que todos tenham este fundo, os imprevistos podem acontecer a qualquer pessoa.

O principal objetivo é ter tranquilidade financeira para trabalhar, e pensar por exemplo se ficasse sem emprego hoje…poderia ter 3, 6 ou 12 meses com as despesas pagas para se concentrar na procura de outro emprego sem o stress e preocupação de como irá pagar as contas.

Como se costuma dizer… não se fiem em subsídios de desemprego ou doença…se conseguirem… tanto melhor… mas como as coisas estão hoje em dia..muitas vezes mais vale nos precaver sem depender de ninguém, muito menos do Estado.

Onde o dinheiro deve ser aplicado?

O Fundo de emergência deve estar de fácil acesso (mas não demasiado fácil!). Numa conta poupança por exemplo que não ofereça riscos de perdas e que possa ser mexido assim que a necessidade aparecer.

Como o fundo deve ser utilizado?

O montante poupado para emergências, como o próprio nome já diz, só deve ser utilizado para situações excepcionais.

Como começo o meu fundo?

  1. Analise os números e planeie.

    • Quanto ganha por mês? Valor liquido após a dedução dos impostos, individual ou em conjunto, caso seja um fundo de emergência familiar.
    • No total dos rendimentos, quanto gasta?
    • Qual o tamanho necessário para o fundo? O recomendado por especialistas é que guarde o equivalente às despesas mensais no mínimo por três meses e vá aumentando gradualmente, o ideal é ter um ano.
  2.  Prepare o orçamento. Agora que já sabe quanto quer — ou precisa — economizar, comece o planeamento. Vejamos um exemplo:

    Ganha cerca de 1000€ mensais e tem  gastos à volta dos 900€. O primeiro objetivo é criar o fundo para 3 meses, então tem que juntar 900*3= 2700€, depois de cumprir o primeiro objetivo trace os 6 meses e assim sucessivamente. É difícil criar um fundo de emergência, achamos sempre que não sobra dinheiro no fim do mês, mas se estipularmos logo no inicio um valor para colocar de lado, por exemplo 50€, adaptamos o orçamento com menos esse valor e olhamos para isso como uma “conta a pagar”.

  3. Abra uma poupança. Procure um banco com conta poupança sem despesas de manutenção e sem perdas em caso de precisar de mexer no dinheiro. As contas virtuais normalmente apresentam taxas de juros mais interessantes para poupanças. Procure pela opção com a melhor taxa de juros que não o penalize por levantamentos, afinal, a ideia é poder usá-lo quando quiser, certo?
  4. Solicite uma transferência automática para a poupança todos os meses e transfira o que puder, comece devagar; é natural demorar um pouco para juntar dinheiro suficiente para cobrir despesas por três a seis meses, mas com o tempo irá ver o valor a aumentar que serve como motivação.

    Mexa na poupança apenas em emergências reais.

    Isto é muito importante, pois é preciso definir o que é uma emergência ou não. A compra de uma torradeira não é uma emergência. Guarde-o para emergências reais como:

    • Desastres naturais que fazem com que perca condições de vida temporária ou permanentemente.
    • A demissão ou uma redução significativa de horas trabalhadas.
    • Problema de saúde familiar repentino cujos custos são de sua responsabilidade.
    • Invasão (guerra) ou agitação civil, principalmente se precisa sair de casa ou estocar suprimentos.

     Dicas

  • Algumas sugestões para aumentar o fundo de emergência:
    • Pode fazer uma “venda de garagem” no Olx por exemplo e tudo o que conseguir vender ter como objetivo o fundo de emergência.
    • Eliminar ou reduzir uma despesa mensal (por exemplo renegociar o tarifário de Telemóvel) e encaminhar essa diferença para o fundo, como se mantivesse a mesma despesa.
  •  Algumas opções para ajudá-lo a não mexer na poupança:
    • Abra a conta em um banco que não costuma usar.
    • Deixe o cartão da conta escondido em casa para ser usado apenas quando estritamente necessário.
    • Sendo um fundo de emergência familiar, a família tem que estar conjuntamente cientes em usar este fundo em conjunto e com o mesmo objetivo.

 

 

7 Comentários

Deixar um comentário