Aprender Educação Financeira Endividado Inicio de Vida O teu Objetivo é O teu Perfil

Método dos envelopes

Se tens dificuldade em organizar as tuas contas e guardar dinheiro, o método dos envelopes  pode ajudar-te a colocar as contas em dia e a começares a poupar.

Como funciona o método dos Envelopes?

Procura 10 envelopes, podem ser reaproveitados. Escreve em cada um deles uma das suas principais categorias (Adaptem cada um à sua realidade).

  • Carro: seguro, manutenção, IUC, combustível,
  • Casa: Renda/Prestação, condomínio, água, IMI, seguro, luz, gás, telefone, internet e TV a cabo, etc
  • Saúde: seguro de saúde, medicamentos, exames e consultas;
  • Compras: Vestuário, calçados, livros, perfumes, presentes; etc
  • Supermercado: inclui as compras de alimentação e produtos de limpeza
  • Lazer: viagem, restaurantes, cinema, teatro, passeios, saídas, etc
  • Educação: mensalidades escolares, livros,
  • Dívidas: inclui tudo o que paga com juros tais como empréstimos
  • Fundo de emergência: dinheiro que será separado para gastos emergências
  • Poupança: 10% da renda líquida a ser investida todo mês

Durante o primeiro mês, não serão usados os envelopes fundo de emergência e Poupança. Aponta o quanto prevês gastar em cada uma destas categorias (Exemplo: Casa 400€, Carro 250€, etc). Ao longo do mês, coloca todos os recibos, talões e comprovativos de gastos, dentro do envelope adequado, (quando não há recibos, coloca um post it com o valor exato do gasto).

Susto no primeiro mês

No final do primeiro mês, soma tudo o que foi gasto com cada despesa e verifica se houve um desvio muito grande em relação ao que previste inicialmente e anota o valor real dos gastos. Exemplo: carro (previsto: 250€/realizado: 300€).

Provavelmente irá haver um ou dois envelopes que te irão surpreender pela negativa. Serão precisamente esses envelopes que tens que te focar em reduzir os gastos.

Desafio aumenta no segundo mês

No segundo mês o desafio aumenta. Como já tens uma ideia melhor do quanto gastas, escreve a soma correspondente ao gasto em cada envelope e distribui o dinheiro necessário para pagar as despesas dentro de cada um deles. O objetivo é gastar somente o dinheiro que está dentro do envelope.

Separa 10% dos rendimentos para o envelope Poupança. O que sobrar do dinheiro (o ideal é que seja 20% dos rendimentos) deve ser guardado no envelope Fundo de Emergência. Repete esse procedimento a cada mês até conseguires ajustar as contas à proporção ideal.

Quando usar o Fundo de emergência?

O Fundo de emergência deve ser usado só em casos excepcionais, como problemas de saúde, desemprego ou algum gasto necessário, como conserto de um electrodoméstico. Não deve ser usado para cobrir o descontrole financeiro.

Se observar que o dinheiro da reserva de emergência é necessário para cobrir gastos todo mês, terá de reduzir os gastos fixos ou procurar novas fontes de renda.

Descobre mais sobre o fundo de emergência aqui

Deixar um comentário