Contas a vida 360
  • Home
  • Seguros
  • O que precisas de saber sobre Seguros de Vida
Empreendedor Finanças Pessoais Seguros

O que precisas de saber sobre Seguros de Vida

Muitas vezes não temos a noção da importância de ter um seguro de vida. É um assunto que não damos muita importância, não por não ser importante mas porque não queremos parar para pensar nessa eventualidade.

Mas devemos.

Devemos parar um instante para pensar, e se me acontecer algo? Como ficam os meus filhos?Esposa/marido? Pais? Tenho forma de lhes garantir um mínimo de conforto numa situação de perda?

A resposta é sim!

E não só para a tua família mas para ti próprio! Já pensaste na eventualidade de um acidente com uma invalidez permanente acentuada, sem possibilidade de trabalhar e com contas para pagar?

 

Mas para que serve exatamente os Seguros de Vida?

Os seguros  ajudam-te a trazer um conforto e segurança no dia de amanhã.

Têm um carácter compensatório, ou seja, não é possível valorar a vida humana porque uma vida não tem preço.

Dessa forma, os seguros de vida garantem um capital que é negociado diretamente entre a seguradora e o seu cliente e que servirá de compensação e não de indemnização.

 

Que tipo de Seguros de Vida existem?

Existem diversas modalidades de seguros e por sua vez, diversos preços no mercado. Os valores divergem consoante as suas coberturas, capitais e seguradoras.

Existem três tipos principais de seguros de vida, que cobrem nomeadamente:

Morte – A seguradora paga o valor da cobertura previamente acordado, em caso de morte durante o contrato, aos herdeiros ou beneficiários da pessoa. No caso de ser associado a um crédito habitação, o beneficiário é o banco.

Vida – Funciona como uma poupança. A seguradora paga o capital apenas quando a pessoa segura está viva no final do contrato.

Mistos –  Contém ambas as coberturas, em caso de morte, paga a indemnização aos herdeiros, em caso de vida, paga ao segurado.

Coberturas Complementares e opcionais:

Invalidez Total Permanente – É uma cobertura que permite estar protegido em caso de uma invalidez total e permanente entre 60% a 66% (dependente da seguradora e do pacote que escolher), em que poderá solicitar igualmente o pagamento da indemnização.

Invalidez Absoluta e definitiva – É semelhante à ITP (Invalidez Total e Permanente) mas exige num nível de invalidez mais acentuado (mais de 90%).

Afinal, o seguro de vida para crédito Habitação é obrigatório?

Nim.

O seguro de vida, por lei é um seguro facultativo. Mas a sua subscrição pode estar condicionada para aceitação de um empréstimo bancário.

Ou seja, os bancos não podem obrigar uma pessoa a subscrever um seguro de vida para segurar o crédito Habitação, mas podem recusar-se a conceder o crédito que a pessoa se recusar a fazer o seguro.

A grande alteração de há uns anos para cá é que os bancos deixaram de ter o monopólio dos seguros e não podem obrigar uma pessoa a fazer o dito seguro numa seguradora do grupo. O cliente tem direito a optar e a procurar um seguro mais vantajoso, quer em termos de preço quer em termos de coberturas melhores (desde que tenham as mínimas exigidas pelo banco).

Isto porque, pode ser mais vantajoso e mais barato, contratar um seguro numa seguradora independente do que numa seguradora pertencente ao banco.

E não se deixe enganar com promessas de spread mais baixos com a condição de ter um seguro de vida dentro do banco. Analise também o valor dos Custos totais do crédito e não apenas para o spread concedido.

Por exemplo:

Se tiveres a analisar as seguintes propostas de 2 bancos diferentes quais achas que é a mais vantajosa para ti?

 

BANCO SPREAD
Banco A 1,60%
Banco B 1,40%

No Banco A oferece um spread de 1,60% e o Banco B no 1,40%.

Aparentemente a escolha lógica seria o Banco B certo?

Vamos analisar de mais perto:

BANCO SPREAD TAEG Prestação Prazo
Banco A 1,60% 2,23% 271,74 € 43 anos
Banco B 1,40% 2,54% 270,18 € 43 anos

Analisando a TAEG o Banco B oferece 2,54% e o Banco A 2,23%.

Isto pode parecer uma diferença muito pouca, mas na mensalidade são 1,56€ por mês o que equivale a 804€ nos 43 anos!

Isto quer dizer que apesar do banco B oferecer um spread mais baixo. Irá exigir uma serie de serviços extra (seguros, cartões, etc) para “compensar” .

Como devo escolher o Seguro de Vida?

O seguro ideal para ti é uma conjugação do melhor que existe no mercado fase ao montante que estás disposto a despender para esse efeito.

A ter em conta os seguintes pontos:

  • Quanto achas que seria suficiente em termos de capital?
  • Que coberturas achas que são mais importantes para ti?
  • Qual é o valor que é mais confortável para o teu orçamento familiar?

Sabendo estas questões, é importante solicitar simulações a diversas seguradas diferentes e comparar valores. Os valores entre seguradoras podem divergir mesmo quando comparando coberturas iguais.

Se já tens um seguro de vida, (associado ao crédito habitação ou não), está na hora de simular e ponderar.

É possível encontrar melhores coberturas e/ou melhores preços!

Tens dúvidas? deixe nos comentários!

Artigos Relacionados

Lista Negra – Banco de Portugal

Contas à Vida 360º

Rendas de Quartos não entram no IRS

Contas à Vida 360º

Como poupar 1000€ ? 1º BabyStep Dave Ramsey

Contas à Vida 360º

Deixa um comentário